Skip to content

NanoSIMS

Abaixo estão os links de alguns de nossos usuários de NanoSIMS
Se o seu site não está na lista e você gostaria que ele aparecesse nessa página, entre em contato com cameca.info@ametek.com.

Stanford Nano Shared Facilities (SNSF), CA, EUA
A NSF fornece instrumentação científica compartilhada, instalações laboratoriais e suporte de pessoal especializado para possibilitar pesquisas multidisciplinares e educar futuros cientistas e engenheiros.

NASA, Astromaterials Research & Exploration Science, Houston TX, EUA
Os cientistas do ARES são dedicados à pesquisa de astromateriais (meteoritos, poeira cósmica e interplanetária, vento solar e rochas lunares), exobiologia e geoquímica orgânica. Eles usam um NanoSIMS 50L para obter diferentes perspectivas sobre processos do início do sistema solar e evoluções estelares.

Chalmers University of Technology, Escandinávia
O NanoSIMS 50L em Gotemburgo é o primeiro desses instrumentos na Escandinávia. O NanoSIMS é adequado para uma ampla variedade de aplicações, tais como análise de contorno de grãos, caracterização de fissuras por corrosão sob estresse, imagens sub-celulares de drogas/peptídeos e estudos de fixação de nitrogênio em bactérias.

UPFL: Université Polytechnique Fédérale de Lausanne, França
Laboratório de Geoquímica Biológica LGB. Estabelecido em 2012, o LBG possui atualmente cerca de 15 cientistas seniores, pós-doutorados, doutorandos e mestres trabalhando em projetos de pesquisa na interface entre geoquímica de isótopos, mineralogia e biologia.

TUM: Technische Universität München, Alemanha
Departamento de Pesquisas em Ecologia e Gestão de Ecossistemas. O solo é o elo de foco e ligação entre os ciclos de informação, matéria e energia da hidrogeosfera e atmosfera. A matéria orgânica do solo, partículas de argila e óxidos de ferro são os reagentes mais importantes em solos, criando uma complexa interface físico-química. (…)

Helmholtz Centre for Environmental Research – UFZ Leipzig, Alemanha
Departamento de Biogeoquímica de Isótopos.
Qual é o papel dos processos biogeoquímicos na funcionalidade de ecossistemas geridos de forma sustentável? Como as leituras de isótopos estáveis podem auxiliar na compreensão do destino de substâncias químicas em ambientes anóxicos, como sistemas aquíferos do solo, sedimentos de água doce e de águas profundas e bioreatores? (…)

CalTech Center for Microanalysis, EUA
O Centro de Microanálises da Caltech possui um IMS 7f-GEO e um NanoSIMS 50L, que permitem a microanálise especializada de materiais geológicos, meteoritos e sintéticos. Os projetos de pesquisa realizados no CCM são muito variados, desde cosmoquímica a estudos experimentais sobre alterações climáticas, geocronologia, estudos in situ de comunidades microbianas, engenharia de ciências de materiais, etc.

Center for NanoImaging, Brigham and Women's Hospital, EUA
Nossa missão é ampliar a espectrometria de massa de imagens de multi-isótopos - ou MIMS - para novas áreas de pesquisas biológicas e biomédicas, incluindo estudos translacionais humanos conduzidos no Hospital Brigham and Women e em centros médicos colaboradores.

Washington University in Saint Louis, MI, EUA
O Laboratório de Ciências Espaciais da Universidade de Washington recebeu o primeiro NanoSIMS em 2000. Projetos de pesquisa abrangem grãos pré-solares, partículas de poeira interplanetárias, geoquímica de meteoritos, etc.

Utrecht University, Holanda
Desde 2013, a Universidade de Utrecht hospeda a unidade nacional holandesa para análises, in situ e de alta resolução, de isótopos e elementos de materiais naturais, apoiando pesquisas em biogeoquímica e ecologia (microbiana), reconstruções paleoambientais e climáticas, ciências da Terra sólida e planetárias.
> Veja um vídeo sobre NanoSIMS

Manchester University, School of Materials, Reino Unido
O NanoSIMS 50L é um componente importante da Unidade de Caracterização Multidisciplinar, sendo aplicado em uma ampla gama de projetos em pesquisas avançadas de materiais, investigações geológicas de interesse para os setores nuclear, de petróleo e gás, estudos de materiais terrestres e também no rastreamento de processos bioquímicos em micróbios e plantas.

Max Planck Institut, Bremen, Alemanha

O Instituto Max Planck de Microbiologia Marinha de Bremen possui o primeiro NanoSIMS dedicado a microbiologia ambiental.

Leibniz Institute for Baltic Sea Research (IOW), Warnemünde, Alemanha
O NanoSIMS 50L da IOW é aplicado a uma ampla gama de pesquisas, de microbiologia e medicina a análises de partículas e ciências do solo.

Environmental Molecular Science Laboratory, Richland, WA, EUA
A EMSL, uma unidade nacional de usuários científicos no Laboratório Nacional do Noroeste Pacífico, possui um modelo NanoSIMS 50L desde 2011.
> Veja um vídeo sobre a pesquisa de partículas de ar no EMSL

Faculty of Life Science, University of Vienna, Áustria
Inaugurado em fevereiro de 2010, o laboratório do NanoSIMS 50L se encontra dentro da principal unidade de pesquisas avançadas de isótopos. Sob a liderança de Michael Wagner, o Departamento de Ecologia Microbiana é um dos principais centros mundiais de microbiologia de célula única e estudos de microorganismos em ecossistemas selecionados.

Institut Curie, Orsay, França
Imagem analítica da célula por espectroscopia de massa de íons secundários (microscopia SIMS). Introdução: "Dos vários métodos analíticos desenvolvidos em microscopia durante a segunda metade do século, a imagem por SIMS é provavelmente uma das mais poderosas e sofisticadas. Originalmente introduzido ... " Link para o artigo completo.

Physical Research Laboratory, Índia
Conhecido como o berço das Ciências Espaciais na Índia, o Laboratório de Pesquisa Física (PRL) foi fundado em 1947 pelo Dr. Vikram Sarabhai. Como uma unidade do Departamento Espacial do governo da Índia, o PRL conduz pesquisas fundamentais em áreas especializadas de física, ciências atmosféricas, ciências espaciais, astronomia, astrofísica, física solar, geociências e ciências planetárias.

Centre for Microscopy, Characterization & Analysis, UWA, Perth, Austrália
Fundado em 1970, o CMCA fornece infraestrutura fundamental para pesquisas em microanálises e microscopia de íon, elétron, laser e luz a universidades, governos da Austrália Ocidental e indústrias locais. Atualmente, ele tem dois instrumentos de sondas iônicas CAMECA, o NanoSIMS 50, instalado em 2003, e o mais recentemente adquirido IMS 1280.

LIST, Luxembourg institute of Science and Technology, Luxemburgo
O Instituto de Ciências e Tecnologia de Luxemburgo (LIST) é uma Organização de Pesquisa e Tecnologia (RTO) que desenvolve tecnologias avançadas e fornece produtos e serviços inovadores para a indústria e a sociedade.

Max Planck Institute for Chemistry, Cosmochemistry Department, Mainz, Alemanha
O Departamento de Cosmoquímica é formado por vários grupos de cientistas e técnicos cujos interesses e atividades de pesquisa abrangem uma ampla variedade de campos em ciências cosmoquímica e espacial. Muitos resumos no campo da astrofísica podem ser baixados em formato pdf.

The Department of Materials, University of Oxford, Reino Unido
O CAMECA NanoSIMS 50 é uma unidade de imagem química de alta resolução que une a sensibilidade de um SIMS dinâmico a uma resolução lateral de cerca de 100 nm. Nosso equipamento foi entregue em agosto de 2002 e é usado em uma ampla gama de projetos de análise de materiais metálicos, semicondutores, poliméricos e biológicos.

Institut de Minéralogie, de Physique des Matériaux et de Cosmochimie (IMPMC), França
O IMPMC é particularmente notável em sua abordagem multidisciplinar. Isso significa que a maioria dos tópicos é estudada por pesquisadores de diferentes campos de experiência - física, ciências da Terra ou biologia. Plataformas experimentais e conhecimentos técnicos e científicos são aplicados para conduzir pesquisas sobre as interações entre o mundo vivo (incluindo bactérias) e o mundo mineral.

Lawrence Livermore National Laboratory, California, EUA
Ciências espaciais, de materiais, biológicas.