Skip to content

KLEORA

A Microssonda Iônica Específica para as Melhores Pesquisas em Geocronologia
Para atender a uma demanda crescente dos geocronologistas, a CAMECA apresentou o KLEORA, um equipamento SIMS de Grande Geometria totalmente otimizado para a datação mineral U-Th-Pb avançada.
  • Visão geral do produto +


    Com base na microssonda iônica da nova geração IMS 1300-HR³ de grande geometria e sensibilidade ultra-alta, o KLEORA fornece sensibilidade de referência para análises isotópicas in loco de U-Th-Pb em uma plataforma fácil de usar e com alto rendimento.

    KLEORA: a solução avançada para a datação U-Pb
    O KLEORA se beneficia da tecnologia de ponta da IMS 1300-HR³, combinando de forma exclusiva Alta Reprodutibilidade com Alta Resolução espacial e Alta Resolução de massa. Abrangendo toda a gama de aplicações geocronológicas de U-Pb, desde a determinação precisa da idade do zircão até a datação de outros minerais ricos em U, como o rútilo ou a baddeleyita, o KLEORA é perfeitamente adequado às necessidades dos geocronologistas.

    Configuração-padrão

    IMS 1300-HR3

    KLEORA

    Fonte de O para Plasma de RF Novo

    Fonte de microfeixes de Cs

    Movimento Auto-Z  Novo

    Câmara de armazenamento automático  Novo

    Microscópio de luz UV de alta resolução  Novo

    Inundação com oxigênio

    Canhão de Elétrons de Incidência Normal

    Sistema multicoletor

    Controle NMR

    Software de geocronologia

  • Veja o que o KLEORA pode fazer +

  • Download de documentação +

  • Usuários de geometria grande do SIMS em todo o mundo +

    Alguns dos usuários de IMS 1270, IMS 1280 e 1280-HR

    IGGCAS - Institute of Geology and Geophysics, Chinese Academy of Sciences, Beijing, China
    O IGGCAS tem sido uma das instituições de pesquisa de geociências mais importantes e conhecidas na China. A perspectiva estratégica do instituto está focada na construção de um centro de pesquisas internacional, com uma forte capacidade de pesquisa básica e desenvolvimento sustentável para aplicar inovação tecnológica às mais diversas fronteiras da Terra e de ciências espaciais.

    GIGCAS - Guangzhou Institute of Geochemistry, Chinese Academy of Sciences, China
    A microssonda SIMS de ultra-alta resolução IMS 1280-HR está instalada no Principal Laboratório de Geoquímica Isotópica (SKLOG) desde 2012. O SKLOG é uma entidade líder nos campos da geoquímica ambiental e biológica, com diversas conduções de pesquisa de alto nível. O IMS 1280-HR da SKLOG dá suporte a múltiplos projetos de pesquisa em dinâmica continental e evolução litosférica, geologia marinha, poluição ambiental e desenvolvimento sustentável.

    JAMSTEC, Japão
    O Instituto Kochi para Pesquisas de Amostra de Núcleo da JAMSTEC, Kochi (Japão) adquiriu três microssondas de íons CAMECA: um NanoSIMS 50L, um IMS 6f e o modelo IMS 1280-HR de altíssima resolução para pesquisas multidisciplinares, incluindo cosmoquímica, estudos de mecanismos de terremotos, evolução dos continentes e oceanos, bem como estudos de recursos biológicos submarinos baseados na interpretação sistemática dos principais sedimentos de perfuração obtidos pelo navio D/V Chikyu.

    GFZ Potsdam - German Research Center for Geosciences, Alemanha
    Incorporada à estrutura mais ampla da Associação de Centros de Pesquisa Nacionais de Helmholtz, a GFZ é o principal centro de pesquisa nacional da Alemanha dedicado a Ciências da Terra, com projetos de pesquisa que vão desde geodésia até geoengenharia. Equipado com um IMS 1280-HR, o laboratório SIMS da Helmholtz Zentrum Potsdam opera como uma instalação aberta a usuários que apoia as necessidades da comunidade geoquímica global, tem colaborações contínuas com cientistas da Europa, e muito mais.

    HIP - Heidelberg Ion Probe, University of Heidelberg, Alemanha
    O laboratório Heidelberg Ion Probe (HIP) dedica-se a fornecer análises isotópicas de sólidos importantes geoquímica e cosmoquimicamente em alta resolução espacial e sensibilidade. O laboratório do HIP possui uma microssonda iônica CAMECA IMS 1280-HR e instrumentação periférica para investigação pré e pós-análise de amostras. O laboratório encontra-se no Instituto de Ciências da Terra da Universidade de Heidelberg. A aquisição do instrumento foi financiada pela DFG, que também supervisiona sua operação.

    University of Alberta, Canadá
    Estabelecido em 2009, o Centro Canadense de Microanálise Isotópica (CCIM) oferece a pesquisadores canadenses e internacionais em universidades, governos e indústrias o acesso a uma das tecnologias de microfeixes isotópicos mais avançadas em geociências. O IMS 1280 é a peça central do CCIM, cujas equipes se concentram na pesquisa de recursos naturais, investigando métodos de mineração e extração de hidrocarbonetos ou outros depósitos minerais, como diamantes, com o objetivo de reduzir os impactos ambientais.

    UCLA Ion Microprobe Group, EUA
    Em parceria com a Fundação Nacional de Ciências, o Grupo de Microssondas de Íons da UCLA é o local do primeiro IMS 1270 de alta sensibilidade e alta resolução. Um IMS 1280-HR também foi instalado recentemente no laboratório. Essa é uma instalação de classe internacional para análises isotópicas em microescala in situ de materiais geológicos, envolvida em pesquisas que são líderes mundiais em ciências da Terra e planetárias.

    NORDSIM
    O laboratório Nordsim está localizado no Laboratório de Geologia Isotópica do Museu Sueco de História Natural em Estocolmo. O Nordsim é uma instalação nórdica, financiada conjuntamente pela Suécia, Noruega, Finlândia e Dinamarca. O instrumento IMS 1280 pode ser aplicado a uma ampla gama de problemas geológicos, dos isótopos U-pb e O em zircões à análise de isótopos estáveis leves de amostras lunares e meteoríticas.

    SwissSIMS / University of Lausanne, Suíça
    O IMS 1280-HR da Universidade de Lausanne está instalado no Instituto de Mineralogia e Geoquímica, no novo laboratório SwissSIMS, uma instalação nacional co-financiada pela Fundação Nacional de Ciências da Suíça para Pesquisas (SNF) e um consórcio de cientistas das universidades de Lausanne, Genebra, Berna e a ETH de Zurique. Equipes trabalham em numerosos projetos de pesquisa de geociências, inclusive a interpretação de idades em rochas metamórficas, interações fluido-rocha e crescimento mineral em auréolas de contato, fusão parcial, etc.

    Micro-scale Isotope Geochemistry Group, Geological Survey of Japan, Japão
    O laboratório SIMS do GSJ no AIST (Instituto Nacional de Ciências Avançadas e Tecnologia) foi equipado com um IMS 1270 em março de 1995, o terceiro IMS 1270 no mundo e o primeiro grande SIMS geológico no Japão.

    Woods Hole, Oceanographic Institute, EUA
    Localizado na Instituto Oceanográfico de Woods Hole (WHOI), o NENIMF é uma Instalação de Microssondas Iônicas regional e com multiusuários apoiada, entre outros, pela Fundação Nacional de Ciências (NSF), que fornece serviços, conhecimentos científicos e atividades educacionais para a comunidade de pesquisadores nos EUA e além.

    CRPG - Centre de Recherches Pétrographiques et Géochimiques, Nancy, França

    O CRPG é um laboratório de pesquisas em ciências da Terra e planetárias. O grupo de sondas de íons no CRPG é equipado com um upgrade do IMS 1270, bem como com um IMS 1280-HR.

    Hokkaido University, Japão
    O Laboratório de Cosmoquímica de K. Yurimoto é equipado com um IMS 1280-HR, um upgrade do IMS 1270, assim como um IMS 6f e um IMS 3f.

    The Phaesant Memorial Laboratory, Okayama, University, Japão
    Fundado em 1992 por E. Nakamura e A. Makishima, o laboratório PML está equipado com instrumentos IMS 1270 e IMS 5f. Seu objetivo é aplicar novos e existentes rastreadores geoquímicos em estudos de materiais terrestres e extraterrestres visando compreender a origem, evolução e dinâmica da Terra e do sistema solar.

    NIST, National Institute of Standards and Technology, Gaithersburg, Maryland, EUA
    O Laboratório de Ciências e Tecnologia Química da divisão Superfície e Microanálise possui instrumentos IMS 4f e IMS 1270.

    Department of Geology and Geophysics, University of Edinburgh, Reino Unido
    A Unidade de Microssondas de Íons (IMS 4f, IMS 1270) está localizada na Faculdade de Geociências do Instituto de Bolsas da Universidade de Edimburgo, Reino Unido. A unidade conduz pesquisas internas e presta serviços à comunidade de ciências da Terra e do meio ambiente.

    WiscSIMS, University of Wisconsin, EUA
    O Laboratório de Espectrômetro de Massa de Íons Secundários de Wisconsin (WiscSIMS) explora novas aplicações de química de isótopos estáveis em ciências da Terra (geoquímica, cosmoquímica), bem como ciências biológicas e engenharia.

    University of Hawai'i, EUA
    O Laboratório de Cosmoquímica W.M Keck da Universidade do Havaí em Manoa conduz pesquisas interdisciplinares sobre a origem do sistema solar através de estudos detalhados de uma variedade de materiais, incluindo meteoritos, partículas de poeira interplanetária (IDPs) e amostras fornecidas por missões da NASA. (Missões Apollo Lua, missão Stardust ao cometa Wild 2 e missão Genesis para capturar vento solar).

    CMCA, University of Western Australia, Austrália
    Fundado em 1970, o CMCA fornece infraestrutura fundamental para pesquisas em microanálises e microscopia de íon, elétron, laser e luz a universidades, governos da Austrália Ocidental e indústrias locais. O instituto tem agora duas microssondas de íons CAMECA, o NanoSIMS 50 e o IMS 1280.

  • Programas +

    • WinCurve dataprocessing sofware
      WinCurve

      Desenvolvido especificamente para os equipamentos SIMS da CAMECA, o WinCurve oferece poderosos recursos de visualização e processamento de dados em um ambiente intuitivo.

      Continuar lendo

    • WinImage Software
      WinImage II

      Desenvolvido especificamente para os equipamentos SIMS da CAMECA, o WinImage II oferece poderosos recursos de visualização, processamento e impressão de imagens no PC-Windows? Ambiente.

      Continuar lendo

    • APM Software
      APM

      A Medição Automatizada de Partículas (APM) é a ferramenta de software da CAMECA que permite rápida varredura de milhões de partículas, detecção de partículas e caracterização isotópica.

      Continuar lendo